09/09/2013

Opinião | Adore | Anne Fontaine. 2013

Título em Portugal: Paixões Proibidas
Data de estreia: 23.07.2013






Ao princípio: quatro pessoas, duas mulheres, dois meninos.
Passados alguns anos: quatro pessoas, duas mulheres, dois homens.

Duas mães, dois filhos. Quatro amigos, quatro familiares, quatro amantes. É em torno deste número e dos vários tipos de afectos que todo o argumento do filme é alicerçado. Duas actrizes que dispensam apresentações - Robin Wright e Naomi Watts são (respectivamente) Roz e Lil - as melhores amigas desde sempre. Inseparáveis. Partilham todos os momentos das suas vidas, os bons e os maus. Uma é viúva, a outra casada. Dada a proximidade das mães, também os filhos cresceram juntos e tornaram-se indivisíveis. Entre os quatro a união é de tal maneira forte que Roz recusa acompanhar o marido num projecto de vida, que incluía um novo trabalho e uma nova cidade.
A amizade e a cumplicidade, aliadas a um cenário paradisíaco, faz com que cada vez mais os quatro se fechem do mundo que os rodeiam, construindo eles próprios o seu universo, fechado e particular.





Tudo se complica quando as relações entre as mães e os filhos ultrapassam a fronteira amizade e transfiguram-se em desejo e amor. Roz envolve-se com o filho de Lil - Ian (Xavier Samuel) e Harold (Ben Mendelsohn) - o filho de Roz - envolve-se com Lil.
Depois de uma estranheza inicial e do choque que sentem ao descobrirem as respectivas relações, as mulheres e os filhos acabam por aceitar os namoros e continuam no seu mundo povoado por eles quatro.




Baseado no livro "The Grandmothers" - da Nobel da Literatura Doris Lessing - Adore é um filme sobre a amizade de duas mulheres, sobre as suas vidas e relacionamentos. A realizadora francesa Anne Fontaine criou um filme polémico, delicado, com uma cinematografia excepcional e editado de forma notável - sobretudo quando existem cortes que representam o avanço nas idades dos personagens.

Incomodará muitos espectadores, especialmente aqueles que acham que mulheres de meia idade não têm desejos sexuais. Inquietará muitos adolescentes que sonham com mulheres mais velhas e será um pesadelo para mães, pais e restantes seres humanos retrógrados.
O filme foi filmado na Austrália, o que o dotou de cenários perfeitos. Possibilitou filmar bem a água, biquínis e peles bronzeadas. Todas as interpretações são boas, mas Robin Wright é fabulosa. Ela é o retrato da força feminina no seu esplendor máximo.
Adore podia facilmente cair no ridículo, mas é de um profissionalismo exemplar. A temática, o ambiente, o erotismo e a atmosfera que transmite faz com que este filme seja, acima de tudo, todo um novo território emocional.

Nota:

1 comentário:

  1. Que bom que alguém concorda comigo. No mundo de hoje, quem não vive sua própria vida é tolo. E aquele final com eles deitados tomando sol, cada um sendo o que realmente é, ficou ótima.

    ResponderEliminar