19/02/2018

Black Panther | Um guarda-roupa feito à medida para a nação de Wakanda



Existem muitas razões para justificar porque é que Black Panther é tão diferente dos outros filmes do universo Marvel e até, diferente de grande parte dos filmes de Hollywood, sendo que a maior das razões se prendem com o trabalho que incrível trabalho que Ruth E. Carter fez com o guarda-roupa do filme. 

"I feel like I've been designing superheroes my whole life," disse a designer Ruth E. Carter à Vogue sobre a sua carreira no Cinema. Carter foi a responsável pelo guarda-roupa de Malcolm X de Spike Lee e Amistad de Steven Spielberg.

O filme Marvel, Black Panther foi o último projeto da estilista, que para preparar e juntar fontes e inspiração, juntou cerca de 100 elementos da sua equipa e viajaram para a Africa do Sul, Nigéria e Coreia do Sul para estudar padrões, cores e silhuetas. A esta pesquisa e levantamento quase documental juntaram-se artífices de joias, fabricantes de moldes, ferreiros, pintores de tecidos e alfaiates, tudo para dar a Wakanda um estilo e estética única. 

Wakanda, a nação de Black Panther pode ser imaginária, mas o seu estilo está enraizado na história e na cultura real de África. A figurinista Ruth E. Carter precisava vestir as personagens - incluindo o próprio Black Panther, T'Challa (Chadwick Boseman) – tendo em mente que era necessário estabelecer um olhar coeso para uma pátria inteira, que é futurista mas ao mesmo tempo é mergulhada na tradição e história africana. Wakanda é rico em vibranium, um metal raro, incrivelmente forte e incrivelmente valioso. A abundância deste material tem um enorme efeito sobre a prosperidade do país, os avanços tecnológicos e a cultura, e por isso Carter decidiu usar o metal nas roupas por razões práticas, como símbolo de poder e também por opções decorativas. 




Não é difícil perceber porque é que os fatos de Black Panther são fabricados com este metal. É leve, elegante e à prova de balas. De notar, que o escudo do Captain America também é feito de vibranium. “Selecionei as coisas das tribos indígenas e atribuí-lhes um modelo futurista. (…) A cultura que o realizador Ryan Coogler criou é única, combina elementos de muitas tribos africanas - incluindo a cor vermelha, a forma do triângulo, anéis no pescoço e trabalhos em missangas". Carter transformou habilmente Balck Panther numa alegria visual fantástica para os olhos de quem vê o filme. O objetivo deste projeto é dar às pessoas algum "contexto real" em torno de África. 

As armaduras do clã guerreiro, só constituído por mulheres e denominado por Dora Milaje, são extraordinárias. Os relevos impressos nesse material bélico imitam a geometria sagrada e as imagens reproduzidas na pintura e escultura africana. Outros detalhes sugerem o estado civil das portadoras, e os talismãs minúsculos no tabard (parte da frente da armadura) das guerreiras - uma boneca de fertilidade, um pedaço de jade ou ametista - são símbolos das habilidades e da espiritualidade das portadoras. "Imaginei que em Wakanda deviam existir artesãos que eram encarregados de criar armaduras à medida para as Dora Milaje (…)”, esclarece Ruth. 

A escolha da cor viva da armadura das Dora Milaje é o resultado dos vermelhos arrojados que Carter conheceu África do Sul e as peles usadas, foram atadas e unidas por um fio pesado para formar um textura que se assemelha a uma segunda pele para as combativas mulheres. Este processo foi cuidadosamente elaborado usando uma técnica centenária. Os colares e pulseiras as guerreiras também têm vibranium.




Para Nakia, a personagem de Lupita Nyong'o, o vestido que usa quando vai àquela espécie de casino, foi pintado à mão com diferentes tons de verde para se relacionar com a cor da sua tribo. Para a rainha Ramonda, interpretada por Angela Bassett, compartilhou Carter: "Ela é a líder de uma nação avançada que possui mais tecnologia do que qualquer outro lugar no Mundo, e por isso as suas roupas tinham que ser igualmente grandiosas e com claras referências à época vitoriana. O seu manto de ombro foi feito com fibras especiais feitas na maior impressora 3D do mundo (na Bélgica). A sua coroa, também feita através de tecnologia de ponta, teve que ser totalmente cilíndrica, numa alusão à perfeição pura".






O xamã Zuri (Forest Whitaker) é um mentor de T'Challa e para dar-lhe essa sensação de reverência, Carter baseou-se nos trajes dos antigos chefes nigerianos, acrescentando plissados intrincados inspirados pelo estilista japonês Issey Miyake.

Ruth E. Carter merece uma nomeação aos Óscars do próximo ano. A estilista merecia ser a primeira mulher a levar para casa o melhor elogio do guarda-roupa para um filme de super-heróis. De notar que se Carter vencer, seria a primeira mulher afro-americana a ganhar um Óscar pela primeira adaptação cinematográfica da história de super-herói preto. 

Concept Art:







Sem comentários:

Publicar um comentário